sexta-feira, Setembro 19, 2014

«Os bons jogadores são sempre bem vindos» - Lito Vidigal

O treinador do Belenenses, Lito Vidigal (fotografia de arquivo) (foto ASF)

- " Carlos Martins rescindiu contrato com o Benfica, quando questionado sobre este assunto, o treinador do Belenenses, afastou a ideia de que estejam a ser movidos contactos nesse sentido. Contudo, mostrou-se recetivo à entrada de «bons jogadores».

«Se isto abre o leque para ele vir? Os bons jogadores que nos possam tornar mais fortes serão sempre bem vindos, mas não sendo ele do clube não posso falar, não tenho conhecimentos de contactos nesse sentido. Se ainda pode vir mais alguém livre? Digo isso desde o primeiro dia, não mudarei o meu discurso por causa de um ou outro resultado, até porque a época passada foi duríssima, estivemos quase para descer», respondeu aos jornalistas, Lito Vidigal.

«Trabalhar sempre com a intenção de fazer melhor» - Lito Vidigal

Lito Vidigal (foto ASF)

- " Com sete pontos em quatro jogos, o treinador do Belenenses, Lito Vidigal, considerou esta sexta-feira que há «uma recuperação em relação a esta altura na época passada».

Apesar disso, reconheceu que passou ainda «pouco tempo e que o futebol é fértil em surpresas». Para Lito Vidigal, o objetivo «é trabalhar sempre com a intenção de fazer melhor», ainda assim confessou estar preparado «para momentos menos positivos».

«Peço aos jogadores que venham trabalhar todos os dias e é com essa mentalidade que serão melhores», acrescentou.

Sobre a receção, no domingo, ao Marítimo o responsável pelo comando técnico dos azuis do Restelo declarou: «É um jogo difícil contra um adversário difícil. Nos últimos cinco anos, teve participações na Liga Europa se não estou em erro, e tem sido gerido com qualidade, é um dos cinco ou seis clubes com melhores jogadores na Liga.»

Jogadores indisponíveis:

Rodrigo Dantas e João Afonso.

Lito Vidigal: «Carlos Martins? Estou aberto a melhorar a equipa»

 - " ADMITE QUE EQUIPA AINDA TEM LACUNAS
Lito Vidigal, treinador do Belenenses, admitiu esta sexta-feira estar disposto a reforçar o plantel azul com algum jogador livre que ainda esteja disponível no mercado.

Questionado sobre Carlos Martins, que tal como avançou Record rescindiu contrato com o Benfica, o técnico não negou que o médio pode fazer parte dos planos. "Estou sempre aberto a melhorar a equipa e se os jogadores estiverem disponíveis e forem benéficos para nós claro que aceito. Os bons resultados que temos tido podem fazer as pessoas esquecerem as nossas carências, mas eu não me esqueço. Não falo diretamente do Carlos nem de outro jogador que possa ter interesse até eles serem tornados oficiais."

Sobre o Marítimo, próximo adversário do Belenenses, Vidigal teceu fortes elogios: "É uma equipa que tem consolidado o seu lugar no topo do campeonato português. Apesar das alterações, continua a ter um bom coletivo e bons jogadores."

quinta-feira, Setembro 18, 2014

Deyverson condicionado

 - " Fez apenas corrida à volta do relvado
Deyverson trabalhou de forma condicionada na sessão de trabalho realizada na manhã de ontem num dos relvados do Estádio Nacional. O ponta-de-lança, que apontou o golo do Belenenses no encontro frente ao Sporting, sentiu alguns problemas e acabou por fazer apenas corrida à volta do relvado, não havendo certezas em relação à sua utilização na receção ao Marítimo. Também João Afonso, que se ressentiu de lesão muscular na terça-feira, voltou ao relvado para trabalhar com algumas limitações e ser progressivamente integrado nos treinos normais do plantel.

De regresso está Abel Camará. O avançado já se treina completamente integrado nos trabalhos do plantel, admitindo-se que possa ser opção para Lito Vidigal no encontro da próxima jornada, frente ao Marítimo. De fora das opções vai continuar o médio Rodrigo Dantas, que ainda recupera de uma lesão muscular e só deve ser reintegrado no decorrer da próxima semana.

terça-feira, Setembro 16, 2014

António Soares: «Tentar a recompra da SAD»

- " Recandidatura formalizada
António Soares formalizou, esta terça-feira, a recandidatura à presidência do Belenenses, que tem eleições marcadas para 18 de outubro, e manifestou a intenção de "tentar a recompra da SAD" durante o mandato que termina em 2017.

O atual presidente do clube do Restelo deslocou-se à secretaria do clube, juntamente com os membros que integram a lista, para entregar os documentos exigidos para participação no processo eleitoral, no qual irá concorrer com Patrick Morais de Carvalho, que havia formalizado a candidatura no sábado.

 À saída, António Soares revelou que a recuperação da maioria do capital social da SAD, atualmente na posse da Codecity Sports Management (CSM), liderada por Rui Pedro Soares, é um dos principais objetivos, uma vez que "o clube tem uma vida mais estabilizada e consolidada financeiramente".

"O clube tem possibilidades de reunir condições para garantir essa recompra, o que terá de passar sempre por um processo de negociação com o atual acionista maioritário. É importante que a gestão do futebol profissional regresse ao clube, agora que o clube tem uma vida mais estabilizada e consolidada financeiramente", afirmou.

O presidente dos "azuis" realçou o papel que a CSM teve na continuidade do futebol profissional, mas considera que "a dimensão do Belenenses leva a que, idealmente, a gestão do futebol profissional esteja no clube".

"Não há qualquer descontentamento. Temos de respeitar o que está a ser feito na SAD, mas isso não invalida que um presidente pense na recompra", referiu. Por outro lado, António Soares voltou a destacar a importância do projeto de requalificação do complexo do Restelo, que irá proporcionar um aumento significativo de receitas e "catapultar o Belenenses para um patamar desportivo acima do atual".

"Estabilizámos num determinado patamar e agora queremos dar um salto em termos desportivos. Para o fazer, são necessárias receitas adicionais e, nesse sentido, o projeto de requalificação do Restelo, que temos vindo a trabalhar com o Edge Group é, talvez, a única maneira que o Belenenses tem de aumentar significativamente as suas receitas", sublinhou.

Além da recandidatura à presidência da direção, António Soares apresenta ainda António Mendes de Almeida como candidato à Mesa da Assembleia Geral e Paulo Machado e Moura ao Conselho Fiscal. As eleições para a direção, Conselho Fiscal, Mesa da Assembleia-Geral (AG) e Conselho Geral do Belenenses serão realizadas no dia 18 de outubro, entre as 10 e as 19 horas.

Soares propõe António Almeida para a AG


- "  A passagem de António Almeida de vice-presidente para a presidência da Mesa da Assembleia Geral, com a saída do atual ocupante do cargo, Carlos Pereira Martins, é a principal novidade na lista com que António Soares se recandidata às eleições do Belenenses, cuja entreega foi formalizada esta terça-feira, no Restelo.

António Soares, de 43 anos, segue-se a Patrick de Carvalho na entrega da lista para o sufrágio de 18 de outubro próximo, onde os sócios do clube da cruz de Cristo serão chamados a eleger os õrgãos sociais para o triénio de 2014 a 2017.

Além de Carlos Pereira Martins deixar a presidência da Mesa da AG, na direção, de nove vice-presidente, oito continuam, e há duas entrada: aumentam para dez os `vices`.

Eis a lista completa que António Soares propõe aos sócios:

Mesa da Assembleia Geral
Presidente – António Almeida
Vice-presidente – André Fonseca

Direção
Presidente – António Soares
Vice-presidente – Luís Bettencourt
Vice-presidente – Carlos Marques
Vice-presidente – Paulo Alves
Vice-presidente – Frederico Almeida
Vice-presidente – Luís Silva
Vice-presidente – Nuno Costa
Vice-presidente – Bruno Esteves
Vice-presidente – Carlos Costa
Vice-presidente – Fernando Costa
Vice-presidente – Vítor Mateus
Conselho Fiscal e Disciplinar
Presidente – Paulo Moura

Conselho Geral
1.º Conselheiro – Francisco Martins
2.º Conselheiro – Pedro Machado
3.º Conselheiro – Júlio Neves
4.º Conselheiro – Luís Marques
5.º Conselheiro – António Tavares
6.º Conselheiro – Paulo Vozone
7.º Conselheiro – Pedro Conde
8.º Conselheiro – Luís Bettencourt
9.º Conselheiro – Carlos Costa
10.º Conselheiro – Nuno Perlouro

Soares quer gestão do futebol de volta ao clube

Opiniões divergentes quanto ao uso das infraestururas e terrenos do clube arrefeceram relações entre clube e SAD, admitiu António Soares (foto ASF)

- " O presidente do Belenenses, António Soares, reconheceu esta terça-feira, por ocasião da entrega da lista que encabeça às eleições do próximo dia 18 de outubro, no Restelo, que o clube gostaria de voltar a ter as rédeas do futebol.

António Soares admitiu a recompra da SAD, cuja administração é presidida por Rui Pedro Soares, ao acionista maioritário Code City. Porque advoga e «gostaria» que a gestão do futebol profissional «regresse» ao clube, e não se mantenha autónomo.

Também as relações com a administração da SAD mereceram um desdramatizar do presidente do emblema e recandidato. Além da divergência quanto ao uso a dar aos terrnos na requalificação dos terrenos do Restelo, a divergência quanto ao uso das instalações foi outro momento «de tensão». Mas garantiu que o «esfriamento» não implica hostilização ou ódio, antes respeito mútuo.

- Pretende a recompra da SAD. Não está satisfeito com a situação do futebol profissional?
- Não tem a ver com o estar satisfeito ou insatisfeito. Não podemos esquecer que a entrada do acionista Code City permitiu ao Belenenses sair da 2.ª divisão e ao Belenenses continuar a ter futebol profissional. Agora acho que a dimensão do Belenenses leva a que, idealmente, a gestão do futebol profissional esteja no clube. E vamos tentar isso. Subimos de divisão, na Liga conseguimos a manutenção, que era a principal meta. Não nos podemos esquecer que a situação financeira da SAD é, também, complicada... Aliás, basta ver que a situação de clube e SAD era tão complicada que as duas entidades foram obrigadas a subscrever o PER [Plano Especial de Revitalização]. Com cerca de um ano de diferença, apesar de eu ser da opinião que a SAD o deveria ter feito há mais tempo. Mas isso é uma prerrogativa de quem está à frente da administração da SAD. Para que fique claro, a recompra não tem a ver com descontentamento em relação à gestão.

- Então prende-se com quê?
- É preciso ter os pés bem assentes na terra. Não se esqueçam que, nos cinco anos anteriores à descida de divisão, entre 2005 e 2010, o Belenenses gastou fortunas em orçamentos de futebol e desceu desportivamente três vezes. Não vamos estar aqui com a ideia de que o que está a ser feito agora é muito mau, porque antigamente a gestão do clube não fez maravilhas. Temos de respeitar o que está a ser feito na SAD, o que não invalida que ache que qualquer presidente do Belenenses deve ter presente a possibilidade de recomprar a SAD e trazer novamente a gestão do futebol profissional para o clube.

- As relações entre clube e SAD estão frias... ou não estão, de todo?
- Há um esfriamento, isso é um facto, é verdade. Mas acima de tudo, os momentos de maior tensão surgem apenas por duas questões: dinheiro, coisas nas quais nós não nos entendemos, em questões de fluxos económicos entre o clube e a SAD, e utilização das instalações, da qual o último exemplo foi a realização do Festival Panda no Restelo. Tirando esses dois momentos, essas duas questões, não há, de facto, situações em que haja uma postura hostil, ou um ódio de um lado ou do outro. O clube não participa na gestão da SAD, é um facto, e gostaria de participar. Não é esse o entendimento do acionista maioritário, temos de respeitar.

Presidente prevê mais 60 por cento de receitas

O projeto imobiliário permitirá verba para outros voos desportivos, defende o presidente/recandidato (foto ASF)

- " Um aumento ««de 60 a 70 por cento» das receitas do clube é o que prevê o presidente do clube, António Soares, que esta terça-feira formalizou, no Restelo, a entrega da lista candidata às eleições para os órgãos sociais, relativa ao triénio de 2014 a 2017.

O próprio presidente do clube desde há três anos o confirmou aos jornalistas, mas congratulou-se por a exploração financeira estar, hoje em dia, segundo adiantou, equilibrada. Mas o peso da dívida antiga ainda absorve «40 por cento» das receitas que o clube gera.

Revelações de António Soares, instantes depois de ter depositado nas mãos de Carlos Pereira Martins a lista completa dos nomes para o sufrágio de 18 de outubro.

- O clube ainda é deficitário?
- Muito pouco deficitário, nesta altura. As coisas estão equilibradas. E quando digo que estão equilibradas, incluo-o aqui o pagamento daquilo que não foi pago quando deveria ter sido. Cerca de 40 por cento da atual receita é alocada ao pagamento da dívida. É isso que limita isso a tal possibilidade de atingir um patamar superior, do ponto de vista desportivo. E obviamente que obriga a ir buscar receitas adicionais, que devem vir do projeto de requalificação do complexo do Restelo. Até porque o projeto que apresentámos, nesta altura, e da maneira como está implementado e desenhado, é um projeto no qual as infraestruturas não desportivas ocupam apenas cerca de 20 por cento do complexo, e todas construídas no topo Norte, onde nada existe, hoje. Não vamos, sequer, hipotecar a hipótese de construir mais qualquer outra infraestrutura desportiva, porque é difícil construir qualquer infraestrutura desportiva no topo Norte: a topologia do terreno torna-o difícil. Torna mais fácil a construção de prédios na encosta do topo Norte.

- A meta do projeto imobiliário é aumentar receitas?
- É essa a nossa aposta, sem comprometer o espaço para as infraestruturas desportivas: desenvolver um conjunto de infraestruturas não desportivas, que a autarquia aceita que sejam construídas. Temos vindo a negociar, por forma a termos um aumento de 60 a 70 por cento das receitas em relação ao que é a receita do Belenenses hoje em dia. Acho que isso é fundamental para o clube dar o tal salto.

- Terá concorrência na corrida eleitoral, de Patrick de Carvalho, pelo menos. Prevê campanha animada?
- Não me lembro, tirando umas eleições um pouco atípicas realizadas há cerca de um ano, de eleições em que, como é regra no Belenenses, não haja, sempre, mais que um candidato. É sinónimo de vitalidade. Assistimos a casos de clubes que têm de adiar sucessivamente o ato eleitoral porque ninguém avança para os órgãos sociais. É muito bom que isso não suceda no Belenenses.

António Soares recandidata-se com otimismo

Aos 53 anos, António Soares quer dar continuidade ao trabalho já feito no clube (foto ASF)

- " Com otimismo e para «dar continuidade» ao trabalho efetuado nos últimos três anos no clube, António Soares, de 53 anos, foi, esta terça-feira, o segundo candidato a formalizar, na secretaria do clube, no Restelo, a entrega da respetiva lista às eleições do próximo dia 18 de outubro para os órgãos sociais do Belenenses, relativas ao triénio de 2014 a 2017.

Acompanhado por alguns dos elementos que consigo transitam nos órgãos dirigentes do clube, ao qual preside já desde outubro de 2011, o gestor, de 53 anos, apresentou a lista ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, Carlos Pereira Martins, eleito há três anos pela sua lista, que aproveitou para pedir uma «campanha com elevação, à altura do bom nome do clube, sem questiúnculas ou guerrilhas pessoais».

António José Rodrigues Soares segue-se a Patrick de Carvalho, que já formalizara a entrega da sua lista para as eleições, e a campanha promete animar o próximo mês.

Depois de os jornalistas terem testemunhado o ato da entrega, o presidente/recandidato vincou ter na recompra da SA e na aprovação da requalificação dos terrenos do Restelo duas prioridades, a última das quais, argumentou, para aumentar as receitas «e devolver o clube à sua dimensão desportiva».

- Qual a razão, ou razões, da sua recandidatura?
- O querer dar continuidade a um conjunto de projetos que acho que podem catapultar o Belenenses para um patamar bem acima daquele onde está atualmente. Ao longo dos últimos quatro anos, fizemos aqui essencialmente um trabalho de recuperação do clube, essencialmente de recuperação financeira. É tempo, agora, de ter outras preocupações. Mas também de perceber que não queremos voltar a ter as preocupações anteriores.

- Que preocupações, pode concretizar?
- Começámos num determinado patamar, e agora queremos dar um salto naquilo que interessa às pessoas que são adeptas de um clube, que é a parte desportiva. Uma das coisas às quais queremos dar andamento é colocar o Belenenses em patamares mais elevados, em termos desportivos. Temos consciência de que para isso são necessárias mais receitas. Nessa ótica, o projeto Cidade Belenenses, no qual temos vindo a trabalhar, em conjunto com o Edge Group, e que apresentámos já, em duas sessões de esclarecimento aos sócios, e que já motivou várias reuniões na Câmara Municipal de Lisboa, é, talvez, a única forma que o Belenenses tem de aumentar significativamente as suas receitas. Não vale a pena criar ilusões de que se fará um projeto desportivo se não houver um aumento significativo de receitas. E acho que esse é o projeto que nos vai dar um aumento significativo de receitas. Proporcionará melhores infraestruturas, melhores técnicos, melhores condições para todos. O projeto de qualificação do complexo do Restelo é, digamos, a chave que o Belenenses tem na mão e com a possibilidade de permitir catapultar o Belenenses para patamares além daquele em que está.

- E noutras vertentes, sem ser o projeto imobiliário?
- Não escondo, assumo-o como objetivo, que outra aposta é tentar a recompra da SAD. O clube tem possibilidades de reunir condições para garantir essa recompra. Claro que isso terá sempre de passar por um processo negocial com o atual acionista maioritário. Estaremos disponíveis para falar e chegar a um entendimento. Porque acho que é importante que a gestão do futebol profissional regresse ao clube, agora que o clube tem uma vida mais estabilizada, mais consolidada do ponto de vista financeiro.

Patrick Morais de Carvalho: "Recuperar sócios para cumprir o objectivo europeu"

António Soares formalizou recandidatura

António Soares (foto ASF)

- " António Soares formalizou esta terça-feira a recandidatura à presidência do Belenenses, para o triénio 2014/2017, em eleições que terão lugar no dia 18 de outubro.

António Soares apresenta, para a direção, uma lista com 10 vice-presidentes. Para a presidência da mesa da Assembleia-Geral é proposto o nome de António Almeida, atual vice-presidente. Para a presidência do Conselho Fiscal e Disciplinar é proposto o nome de Paulo Machado e Moura e para o Conselho Geral, o nome do primeiro conselheiro é o de Francisco Martins.

A campanha começa esta quarta-feira. Recorde-se que já foi apresentada uma candidatura, a de Patrick de Carvalho.

António Soares avança com recandidatura

António Soares (foto ASF)
- " António Soares apresenta hoje ao meio dia uma lista de recandidatura para as eleições do clube, marcadas para 18 de outubro.

De acordo com A BOLA, entre outras razões, António Soares avança por «receio de que o clube volte a cair numa situação de abismo».

Camará de volta

 - " TAL COMO JOÃO AFONSO
Abel Camará será a novidade na sessão de trabalho de hoje à tarde. Após os incidentes em que esteve envolvido, tendo sido atingido com uma facada, o ponta-de-lança será hoje reintegrado no grupo, admitindo-se que possa ser opção para Lito Vidigal no encontro da próxima jornada diante do Marítimo.

Também João Afonso, que sofreu uma lesão muscular que o obrigou a parar, vai integrar hoje os trabalhos do plantel.

Depois do empate conseguido em Alvalade frente ao Sporting, o objetivo do Belenenses é vencer o Marítimo por forma a manter-se na primeira metade da tabela.

António Soares: «Passivo está nos 9 milhões»

 - " REFERE QUE EM 2010 ERA 13,5 MILHÕES
R – Consegue quantificar o passivo?

AS – Os 13,5 milhões de euros que encontrámos em 2010 eram reais, com credores a baterem à porta, sendo que 8 milhões eram de curto prazo. Durante o processo, tivemos ainda de encontrar um investidor para a SAD. Ou encontrávamos um mecanismo de negociação global com os credores, que acabou por ser o PER, ou a situação tornava-se insustentável. Hoje, o passivo está nos 9 milhões, mas só temos um milhão de dívidas no curto prazo, o que se resume à gestão corrente.

R – Tem receio que o clube volte a gastar mais daquilo que pode depois das eleições?

AS – Se considerasse que não havia riscos do regresso a um passado recente não me candidatava. Ao ver este candidato [n.d.r.: Patrick Morais de Carvalho] fico com mais receio. Há elementos dessa lista que estiveram no período negro do Belenenses, entre 2005 e 2010, e em funções de responsabilidade. Foram responsáveis pela antecipação de uma receita-record na história do clube. Se voltarmos a fazer isso, será difícil manter o clube vivo.

R – Além dos objetivos prioritários de levar para a frente a requalificação e de recomprar a SAD, tem outras metas a atingir?

AS – Sim. O de criar uma sociedade detida pelo Belenenses para gerir os ativos nãodesportivos, nomeadamente património, área comercial, comunicação, marketing e outros. Tem vantagens fiscais e terá pessoas especializadas em cada área. Queremos ainda fazer crescer o número de sócios. É uma grande preocupação. Aproveito, a propósito, para lhes pedir que participem mais na vida do clube e deem uma imagem de força do Belenenses. No fundo, há quatro aspetos fundamentais: aprovação do projeto de requalificação, recompra da SAD, criação da sociedade de gestão de ativos não-desportivos, e chamar novos e antigos sócios.

António Soares: «Recompra da SAD é uma prioridade»









- " Engenheiro candidata-se a novo mandato. Quer aprovar a requalificação do Restelo e recuperar a gestão do futebol profissional 

Este artigo é exclusivo para Assinantes Record Premium

segunda-feira, Setembro 15, 2014

Nélson: «Ainda procuro a melhor forma física»

  - " Lateral quer fazer mais e melhor
Nélson comentou a sua estreia pelo Belenenses no encontro com o Sporting, que terminou empatado a um golo. O lateral abordou a sua forma física e a posição ocupada em campo.

"Foi como extremo que comecei a minha carreira e penso que me saí bem. Mas ainda estou à procura da melhor forma física, posso fazer muito melhor. E farei. Não sei se é para continuar a jogar como extremo mas não assinei nenhum contrato que diga que tenho de jogar como lateral. Estou aqui para ajudar e para me submeter às ideias do treinador. Ele é que sabe e eu darei o meu melhor, a jogar como lateral ou como extremo", sublinhou o jogador à sua assessoria de comunicação e imagem.

Nélson esteve em destaque em Alvalade por fazer a assistência para o golo de Deyverson. Comentando o lance, o jogador diz que foi tudo muito rápido.

"Não havia tempo para dominar a bola porque já tinha o Jefferson a chegar. E vi o Deyverson que estava em condições para fazer o golo, sem marcação. Decidi cruzar logo e até o fiz com alguma força, para a bola ir tensa e para o cabeceamento do Deyverson não sair fraco. Foi um grande golo, muito importante para nós, porque nos permitiu empatar num campo onde a maioria das equipas portuguesas vai perder", concluiu.

domingo, Setembro 14, 2014

Deyverson, o goleador do Restelo

 Deyverson
- " Avançado acabou a última temporada em grande e confirma os dotes no arranque da atual campanha. Três golos em quatro jogos dizem tudo.
Com três golos nas quatro primeiras jornadas do campeonato, Deyverson tem sido o destaque do Belenenses neste arranque de temporada e uma das boas surpresas da I Liga. O avançado do Belenenses fez o gosto ao pé frente a Penafiel e Nacional - vitórias por 3-1 -, antes de apontar o golo dos azuis em Alvalade, onde também teve uma soberana chance para fazer o segundo na cara de Rui Patrício.

Curiosamente, Deyverson, de 23 anos, já fez tantos golos como na época anterior, embora tenha apenas disputado oito jogos do campeonato. É, todavia, bom referir que esses golos surgiram na ponta final da I Liga de 2013/14, pelo que o avançado confirma, até ao momento, as excelentes indicações dadas nesse período.

Esta promete, portanto, ser a temporada de afirmação do brasileiro, que chegou a Portugal para representar a equipa B do Benfica na época 2012/13.

Matt Jones: «Foi uma boa exibição da malta»


Matt Jones: «Foi uma boa exibição da malta»

 - "Guarda-redes do Belenenses em destaque no empate em Alvalade (1-1)

Matt Jones, guarda-redes do Belenenses, foi uma das grandes figuras do empate que o Belenenses arrancou em Alvalade diante do Sporting (1-1), em jogo da 4ª jornada da Liga:

[Satisfeito com o empate?]
- Foi uma boa exibição da malta, mas infelizmente não ganhámos, que era o que queríamos mais. Estamos contentes com um ponto, mas obviamente, queríamos mais.

[Empate com sabor a vitória?]
- Foi, mas entramos nos jogos para ganhar e não para empatar. Foi só um ponto, podiam ter sido três, mas estamos contentes com o nosso jogo. Outro dia, podemos ganhar o jogo.

[A exibição foi melhor do que tinha sido frente ao Guimarães (0-3)?}
- Claro, frente ao Guimarães não pudemos ficar satisfeitos. Nesse jogo, cada erro que cometemos sofremos um golo. Temos de aprender.

Lito Vidigal: «Foi por pouco que não fizemos história»

Lito Vidigal: «Foi por pouco que não fizemos história»

 - " Treinador do Belenenses queria vencer em Alvalade

Lito Vidigal, treinador do Belenenses, depois do empate diante do Sporting (1-1), no Estádio de Alvalade, em jogo da 4ª jornada da Liga:

[Satisfeito com empate?]
- Estou triste. Jogámos contra um candidato ao título, contra uma equipa fantástica, que tem recursos que nós não temos, e jogar aqui da forma como o fizemos, com muitas oportunidades de golo, era para vencer. Se tivéssemos sido mais eficazes tínhamos rompido com um jejum de quase sessenta anos, foi por pouco que não fizemos história. Mesmo assim os jogadores foram fantásticos, deram o seu melhor, e é por isso que temos ganho pontos.


[Mas o Sporting fez 26 remates. Acha que houve falta de eficácia do adversário?]
- Nós também tivemos oportunidades claríssimas para resolver o jogo. Posso referir aquela do Deyverson na cara do Patrício. O jogo tem várias fases e, como já tinha dito, não podemos fazer comparações com o Sporting. É natural que o Sporting tenha tido mais posse de bola e tudo o resto, mas depois desta exibição só podem elogiar os meus jogadores.

[Notou intranquilidade no Sporting?]
- Não sei o que é a intranquilidade do Sporting. O Sporting fez um jogo seguro. O jogo foi bem disputado, o Sporting esteve por cima de nós em muitos aspetos, tentámos compensar com outros. Acho que, no geral, os pontos estão bem repartidos, mas a nossa ambição era ganhar. Digo sempre aos meus jogadores que temos de jogar contra todos os adversários com a intenção de ganhar. Se o conseguimos ou não é outra história, mas essa atitude temos de a ter sempre.

sábado, Setembro 13, 2014

Deyverson: «Equipa é ambiciosa»


- " Avançado feliz com mais um golo
Deyverson não pára. É já o 3.º golo esta época, os mesmos que fez em toda a campanha passada. O brasileiro estava, naturalmente, feliz: "Deus tem-me abençoado e tenho conseguido fazer golos. É uma alegria enorme."

Sobre o resultado, diz que o empate "não é mau", visto que o rival tratava-se de "uma grande equipa." Sobre o futuro deste Belenenses, sublinha que "a equipa é ambiciosa" e vai sempre trabalhar para fazer melhor.

«A equipa está de parabéns apesar de não conseguirmos a vitória», afirma Deyverson

Deyverson (foto ASF)


- " O autor do golo do Belenenses lamentou o facto de a equipa não ter conseguido ganhar o jogo frente ao Sporting.

«A equipa está de parabéns, procurámos a vitória mas, infelizmente, não conseguimos ganhar», referiu Deyverson.

No entanto, o jogador brasileiro lembra que nem sempre se consegue ganhar mas no próxima partida a formação de Belém «vai dar uma boa resposta».

Lito Vidigal: «Estou triste»

- " TÉCNICO ACREDITA QUE PODIA TER VENCIDO
Lito Vidigal lamentou apenas ter saído com um ponto de Alvalade já que o técnico do Belenenses pretendia vencer e quebrar um jejum de seis décadas sem ganhar na casa do Sporting.

"Estou triste porque tivemos oportunidades de golo suficientes para ganhar. Não digo que fomos melhor no geral, que o Sporting. Longe disso. Trabalhar como trabalhámos, com a atitude que tivemos… Eu queria romper com estes 60 anos que não ganhamos em Alvalade. Faltou-nos eficácia na concretização. Empate é um prémio justo pela entrega para estes jogadores que têm sido fantásticos no trabalho que têm feito", começou por dizer em entrevista à Sport TV, dando o mote para o que falta jogar na época.

"Temos de ser organizados e trabalhar muito. Temos de ser fortes mentalmente e acreditamos que é possível ganhar em qualquer campo. O que lhes tenho dito é que o Belenenses não trás muita gente ao estádio mas temos muita gente a puxar por nós apesar de não aparecerem no estádio mas estão por este Portugal fora. Recebo muitas mensagens de carinho dos adeptos", confidenciou o técnico.

«Estou triste porque tivemos oportunidades para ganhar» - Lito Vidigal

Lito Vidigal (foto ASF)

- " Lito Vidigal considera que o Belenenses perdeu este sábado uma boa oportunidade para interromper jejum de 60 anos sem vencer o Sporting em Alvalade.

«Estou triste porque tivemos oportunidades para ganhar o jogo. Não estou a dizer que somos melhores que o Sporting nem que no geral fomos melhores, longe disso. O Sporting tem uma grande equipa, tem um bom técnico e é candidato ao título. Queria romper com estes 60 anos que o Belenenses leva sem ganhar em Alvalade. Trabalhámos muito para isso. Infelizmente faltou-nos um pouco de eficácia na finalização», lamentou o treinador da equipa do Restelo, em declarações à Sport TV.

«É um prémio justo pela entrega e dedicação dos meus jogadores», salientou.

Lito Vidigal: «Estou triste, queria ganhar»

Lito Vidigal: «Estou triste, queria ganhar»

 - " Treinador do Belenenses sonhou com o triunfo em Alvalade

Lito Vidigal, treinador do Belenenses, na flash à SportTV, após o jogo em Alvalade:

«O Sporting tem uma grande equipa, um bom técnico, é candidato ao título. Mas... queria romper com os 60 anos em que o Belenenses não ganha em Alvalade»

«Estou triste porque queria ganhar. Não estou a dizer que somos melhore que o Sporting. Mas podíamos ter ganho»

«A derrota em casa com o V. Guimarães não fez mossa»

«Fomos organizados, quisemos ganhar»

Sporting-Belenenses, 1-1 (crónica) Candidatos ao título?

Sporting-Belenenses, 1-1 (crónica)
- " Quarta jornada, terceiro empate, primeiros pontos perdidos em Alvalade. Assim é difícil acreditar na candidatura de Bruno Carvalho ao título. É verdade que o Belenenses concentrou-se sobre a sua baliza com duas linhas defensivas, mas também é verdade que a equipa de Marco Silva, apesar de esforçada, não teve argumentos para consumar a reviravolta e só chegou ao empate com um erro tremendo do adversário. Crise em Alvalade, com o jogo a acabar ao som de assobios.

Confira a FICHA DO JOGO

Não é a primeira vez. O Sporting voltou a sentir tremendas dificuldades perante uma defesa fechada como à que o Belenenses apresentou em Alvalade. Já tinha acontecido com o Arouca em que os leões só conseguiram desbloquear o marcador em tempo de compensação. Esta noite nem isso.

Lito Vidigal apostou em duas linhas defensivas, com Nélson a ajudar Palmeira a fechar o flanco direito, Miguel Rosa também muito recuado, junto a Filipe Ferreira no lado contrário, e Bruno China e Pelé à frente dos centrais. Os leões ainda passavam a primeira barreira, mas depois perdiam quase sempre o controlo na segunda. Apesar de tudo, a equipa de Marco Silva entrou com uma boa atitude, procurando impor um ritmo forte desde o primeiro minuto, com Nani muito ativo sobre a esquerda.

O Belenenses, com dificuldades em sair a jogar, fez o primeiro remate aos 12 minutos, com Sturgeon a atirar cruzado e a gelar Alvalade, com a bola a rasar o poste. Os leões intensificaram o ritmo e estiveram perto de abrir o marcador, por Nani e por Slimani, mas também por William Carvalho, que obrigou Matt Jones à defesa da noite. No entanto, foi o Belenenses o primeiro a chegar ao golo, aos 27 minutos, num lance que parecia inofensivo. Miguel Rosa tinha cruzado da esquerda, mas não havia ninguém na área. A bola passou por toda a gente e o estreante Nélson apareceu do lado contrário a cruzar de primeira para Deyverson rematar de cabeça. Tremenda eficácia da equipa do Restelo que ao segundo remate estava a vencer.

Um resultado que ditava um Belenenses ainda mais fechado, mas, surpreendentemente, aconteceu o contrário. O jogo abriu-se depois do golo de Deyverson e a equipa do Restelo, nervosa com a vantagem, cometeu erros atrás de erros. O mais evidente foi o passe descabido de Bruno China que isolou Carrillo para o golo do empate aos 35 minutos. Um golo que empolgou os leões que estiveram muito perto de consumar a reviravolta até ao intervalo, com destaque para uma impressionante arrancada de Nani sobre o flanco que deixou João Meira nas covas antes de assistir Slimani. O avançado argelino, em noite não, atirou a rasar o poste. Mesmo em cima do descanso, um lance polémico, com Jefferson e Deyverson a embrulharem-se junto à marca de pontapé de canto, mas Cosme Machado mandou toda a gente para os balneários.

Com Mané e Capel foi mais do mesmo

O Belenenses adiou o regresso ao jogo até ao limite, mas não foi por isso que o Sporting não voltou a entrar com, ímpeto, voltando a montar o cerco à baliza de Matt Jones. Jogava-se apenas numa metade do campo e, na primeira vez que a equipa do Restelo passou a linha do meio-campo, quase conseguiu novo golo. Deyverson escapou a William Carvalho e cavalgou por ali fora, mas permitiu o corte de Patrício que saiu ao seu encontro. O Sporting tinha mais bola, cruzava muitas bolas, mas Slimani continuava desamparado na área, sem conseguir chegar a nenhuma. Marco Silva procurou dar mais apoio ao argelino com a entrada de Carlos Mané para o lugar de Carrillo numa altura em que as bancadas já davam sinais de impaciência. Capel também entrava para dar mais velocidade, mas nada saía bem aos leões.

O Belenenses já praticamente não subia, mas nem precisava de se aproximar da baliza de Patrício para provocar calafrios em Alvalade. Deyverson voltou a assustar com um chapéu quase sobre a linha do meio-campo que passou por cima do guarda-redes do Sporting e passou muito perto da barra.

Nos últimos dez minutos, os leões cederam ao coração e atacaram de forma atabalhoada, sem sentido, com mais uma dezena de cruzamentos despropositados. Slimani teve duas oportunidades flagrantes para marcar em tempo de compensação, mas esta não era definitivamente uma noite para o argelino. O jogo acabou ao som de assobios, ninguém pode estar contente. O Sporting ainda não realizou uma exibição convincente desde o início da época e agora já não há a desculpa do mercado.

Sporting empata em casa (1-1) com o Belenenses

Slimani com Bruno China (foto ASF)

- " O Sporting empatou (1-1), este sábado, com o Belenenses, em Alvalade, em jogo a contar para a quarta jornada da Liga. Deyverson adiantou o Belenenses aos 28 minutos, e Carrillo empatou aos 35.

Foi a terceira igualdade dos leões em quatro jogos para o Campeonato. O Benfica já está a quatro pontos e o FC Porto pode ficar a seis pontos, se os dragões vencerem este domingo em Guimarães.



Veja aqui a ficha do jogo
2